O carnaval no Rio de Janeiro é uma das festas mais animadas do planeta. Milhões de turistas vêm à cidade todos os anos para participar dessa grande confraternização e se encantam com a alegria contagiante dos blocos, o luxo das escolas de samba e outras atrações irresistíveis. Reunimos aqui algumas sugestões para tornar essa experiência ainda mais interessante, já que ela é sempre inesquecível.

Carnaval no Rio de Janeiro

Em 2017, oficialmente o carnaval no Rio começa na sexta feira de carnaval, dia 24 de fevereiro e vai até a terça-feira 28 de fevereiro, restando a quarta-feira de cinzas para quem precisar se recompor e começar a trabalhar no meio do dia.

Precauções Com o Carnaval no Rio

O folião que deseja aproveitar de verdade o carnaval no Rio deve tomar alguns cuidados básicos antes de cair na folia, como levar pouco dinheiro e ter cuidado com o celular. A opção por roupas leves também é indispensável. Se hidratar bastante, beber álcool com moderação e escolher locais seguros para comer são formas de evitar que sua festa termine mais cedo. O ideal é ir aos blocos, desfiles e outros eventos na companhia de amigos, para que um possa olhar o outro e ninguém cometa nenhum excesso. Ter consigo o endereço do local de hospedagem e o contato de um taxista de confiança pode parecer besteira, mas faz toda a diferença no fim da noite.

Como prevenir nunca é demais, aconselhamos a leitura dos guias Golpes Contra Turistas no Rio de Janeiro para se proteger de pequenas e médias dores de cabeça, e também o guia Violência no Rio, pois desejamos que você fique bem, sempre. Para entender o inexplicável sistema de transportes públicos do Rio, recomendamos também a leitura do Guia de Transporte Público.

Para se organizar, também é importante acompanhar a agenda de blocos da zona sul e dos desfiles das escolas de samba.

Pré-Carnaval no Rio

O carnaval é, na origem, uma festa religiosa. Sua data varia, por isso, entre fevereiro e março. Mas, no Rio, ele sempre começa antes do combinado. Isso porque a pré-temporada carnavalesca têm se transformado nos últimos anos numa grande festa, por vezes até mais animada do que os tradicionais quatro dias de folia. Desfiles de blocos ao longo do mês de janeiro são cada vez mais comuns, assim como bailes e outras atividades que já dão um gostinho do que está por vir. Os ensaios técnicos no sambódromo nas noites de sábado e domingo se enquadram nessa categoria de evento e são gratuitos. O mesmo pode-se dizer dos ensaios de rua das escolas de samba nos seus respectivos bairros. Os do Salgueiro, por exemplo, acontecem às quartas na rua Maxwell, no Andaraí. Já a Portela pede passagem aos domingos, na estrada do Portela e na estrada Intendente Magalhães, nos arredores de Madureira.

O último fim de semana antes do carnaval no Rio marca o auge dessa pré-temporada carnavalesca cada vez mais celebrada pelos cariocas. Centenas de blocos de carnaval vão às ruas nesses dias e alguns deles já estão se tornando tradicionais. É o caso do Céu na Terra, que no sábado lota as ruas de Santa Teresa com sua banda tocando marchinhas, sem bateria. A agremiação existe desde 2001. O Timoneiros da Viola é um bloco que homenageia o sambista Paulinho da Viola e outros grandes nomes do samba e do choro. Ele existe desde 2012, desfila no domingo anterior do carnaval em Oswaldo Cruz e quase sempre conta com a presença de seu padrinho, que nunca deixa de cantar alguns de seus sucessos.

No pré-carnaval e durante o carnaval no Rio, o programa padrão, para quem não está trabalhando, é juntar o bloco carnavalesco com o dia na praia, por isso, você pode preferir ir aos blocos que saem da orla da cidade, principalmente em Ipanema e Copacabana. De noite, se sobrar energia, mais carnaval!

Carnaval de Rua no Rio

A grande sensação do carnaval carioca nos últimos anos são os blocos de carnaval. Esses grupos, geralmente acompanhados por um conjunto de percussionistas ou de uma banda com instrumentos de sopro, levam alegria às ruas da cidade. E cada dia de folia conta com seu expoente. Os blocos mais famosos do carnaval do Rio são Banda de Ipanema (temática LGBT) e Simpatia é Quase Amor.

A sexta-feira de carnaval é do Carmelitas, bloco que anima as ladeiras de Santa Teresa. A estrela do sábado é o Cordão da Bola Preta, que transforma o Centro num grande baile ao ar livre com seus potentes trios elétricos. O Sargento Pimenta mistura Beatles e carnaval na segunda, arrastando uma legião de roqueiros foliões. Grupos como o Rio Maracatu e a Orquestra Voadora dominam a terça, mostrando que, na folia carioca, sempre há espaço para a diversidade. E, na quarta, enquanto todo mundo acompanha a apuração do Grupo Especial, o Me Beija Que Eu Sou Cineasta brinca e resiste nas ruas da Gávea.

Carnaval no Rio Com Luxo

Sambódromo Carnaval do Rio

Quem procura lazer com conforto e tem dinheiro para pagar por isso também pode desfrutar de ótimas experiências no carnaval carioca. A principal delas é o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, que recebeu com justiça a qualificação de maior show da Terra. A Rua Marquês de Sapucaí, no centro da cidade, serve de palco no domingo e na segunda de carnaval para doze agremiações que disputam o cobiçado título de campeã. Os ingressos para assistir o espetáculo são vendidos com antecedência e têm preços que variam entre R$ 5 (para as arquibancadas populares) e até R$ 120 mil (para os camarotes mais luxuosos). Beija-flor, Mangueira, Salgueiro e Portela são alguns dos grandes nomes do desfile, que acontece desde 1932.

Mas o Grupo Especial não é o único a desfilar na Sapucaí. A Série A, formada por outras 15 escolas, se apresenta no mesmo local na sexta e no sábado de carnaval. Essa espécie de segunda divisão do sambódromo conta com agremiações conhecidas, como Império Serrano e Viradouro, e tem ingressos com preços a partir de R$ 10.

Outro programa de luxo do carnaval carioca são as feijoadas promovidas por hotéis, que normalmente têm preços superiores a R$ 100,00 e oferecem aos turistas o prato típico, bebida liberada e samba em espaços com vista para o mar. E os bailes privados, com temáticas próprias como por exemplo o do Vermelho e Preto (em alusão às cores do popular time de futebol carioca do Flamengo), ou o baile Gay. As festas acontecem em clubes privados como Scala. Os valores são proporcionais à fama dos estabelecimentos.

Para informações adicionais sobre os desfiles das escolas de samba do carnaval no Rio, acesse o site da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e da Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro.

Pós-Carnaval no Rio

Quem disse que o carnaval carioca acaba na quarta-feira de cinzas? Diversos eventos acontecem depois dessa data e vale a pena listar alguns. As seis escolas mais bem colocadas do Grupo Especial fazem o Desfile das Campeãs, no sambódromo, no sábado seguinte ao carnaval. A apresentação do Monobloco no domingo marca, para muitos, o fim oficial da folia e já reuniu mais de 1 milhão de pessoas tocando ritmos percussionistas. Outra atração carnavalesca do pós-carnaval são as ressacas, promovidas por casas de show como a Fundição Progresso.

O leque de opções antes, durante e depois dos quatro dias de folia no Rio é imenso. Mas você já pode se considerar um conhecedor de boa parte dele e deve se programar se não quiser perder o carnaval do ano que vem. É uma experiência única e recompensadora, que todo mundo devia ter pelo menos uma vez na vida.

Outros Ritmos

Carnaval de Rua no Rio Maracatu

O carnaval no Rio é tão democrático quanto a noite da Lapa, e isso permite que outros ritmos encontrem espaço na folia. Como por exemplo o som do New Kids on the Bloco, que faz arranjos com músicas pop. Havendo espaço ainda para o Thriller elétrico, que traz Michael Jackson para a folia carioca. Há ainda blocos dedicados ao funk carioca e aos Mamonas Assassinas, um meteórico grupo de Rock nacional cuja carreira acabou tragicamente em um acidente aéreo.

O Que Ninguém Fala

  • Para quem não gosta de carnaval, o carnaval do Rio é insuportável. A cidade fica praticamente interditada aos carros, devido aos muitos blocos e foliões. Quem mora no entorno do Sambódromo fica ilhado e sem poder dormir. Razão pela qual muitos cariocas simplesmente deixam a cidade quando começa o carnaval no Rio.
  • A cidade fica muito suja, muitos cariocas e visitantes tem o péssimo hábito de urinar e jogar lixo na rua, o que além de ser profundamente anti-higiênico pode se tornar um risco de saúde pública devido à hipótese de contaminação pelo zika vírus através da urina. Recomendamos usar sapato fechado evitar os locais de entorno aos blocos e desfiles.
  • Lixo no Carnaval no Rio

  • Essa questão é tão irritante aos cariocas que inclusive há multas para quem for pego urinando ou jogando lixo na rua. A multa por fazer xixi na rua é de 510 reais, para homens e mulheres. E para quem jogar lixo no chão, as multas variam entre 115 e 3.693 reais, dependendo da infração. A grande questão é que não há necessidade de correr o risco do empobrecimento instantâneo, a prefeitura disponibiliza banheiros públicos e farta rede de coleta de lixo durante o carnaval no Rio.
  • Se desejar ir ao Sambódromo para ver os desfiles das escolas de samba, recomendamos fortemente adquirir seus ingressos de fontes oficiais, como as bilheterias do próprio, agências de viagens e hotéis. Não recomendamos comprar seus ingressos com cambistas ou camelôs, nem por sites não oficiais, pela internet. A chance de comprar um ingresso falso ou cancelado é relativamente alta. Além de pagar um preço quase extorsivo.
  • Em fevereiro ou março estamos no auge para o fim do verão no Rio. Isso quer dizer que, a menos que as autoridades cariocas tenham sido bastante diligentes durante a primavera e combatido o mosquito Aedes aegypti, o verão no Rio é a pior época de incidência da dengue e agora também zika e chikungunya, porque é a época preferida do mosquito, com bastante calor e chuvas.
  • Encarar os blocos e desfiles na Marquês de Sapucaí requer muita disposição e preparo físico, muitos foliões passam mal durante as festas, pelo calor, pelo espremido dos blocos, pelo excesso de álcool e falta de comida, água e sono. Fique atento aos seus limites.
  • Existe na cidade uma cultura bastante machista que promove um tipo de assédio sexual que muitas vezes não é nada dissimulado. Infelizmente, muitos cariocas costumam fazer brincadeiras e elogios impertinentes com mulheres desacompanhadas. Essa situação dificilmente evoluirá para um crime sexual, mas pode ser bastante desagradável em caso de confronto. Por isso, sugerimos não confrontar esse tipo de atitude, buscando se proteger e sair da situação sem se arriscar. Entenda a leitora que não se trata de ser passiva. Diante de uma ameaça ou excesso concreto, se alguém encostar em você ou lhe segurar deve-se reagir sim, proporcionalmente e à altura. O ideal, entretanto, é andar acompanhada, pois a audácia desse tipo de comportamento diminui drasticamente quando a mulher está acompanhada por um homem, uma postura machista e lamentável, mas que acontece. Essa situação fica, infelizmente, mais exacerbada no carnaval, pelo aumento do falso clima de permissividade generalizada acompanhada do consumo de bebidas alcoólicas.
  • Carnaval Infantil no Rio de Janeiro

  • Se desejar levar crianças aos blocos, saiba que existem blocos específicos para os pequenos, como o Gigantes da Lira, o mais famoso de todos. Cuidados especiais com crianças e adolescentes são necessários: sempre segure os pequenos pela mão, coloque pulseiras de identificação, contendo nome, endereço e telefone no Rio, bem como marque pontos de referencia para encontro em caso de separação.

Créditos das imagens para este artigo Carnaval no Rio de Janeiro: Alexandre Macieira, Fernando Maia, Hudson Pontes, Raphael David e Tânia Rêgo.